5 formas de combater a depressão e ansiedade com alimentação 

O corpo e a mente estão intrinsecamente ligados. Existem soluções para depressão, ansiedade e estresse através da alimentação? Sim. Eu acredito que sua dieta pode ajudar muito a mudar seus pensamentos!

A conexão mente e corpo

O corpo não é uma série de sistemas separados que funcionam de forma independente. Todos os sistemas do seu corpo estão interligados, controlados pelo cérebro e sistema nervoso.

De acordo com o Professor Anthony J. Rothschilda, da Universidade de Massachusetts, depressão resulta de muitos aspectos biológicos, incluindo níveis de neurotransmissores, mau funcionamento de receptores no cérebro e falhas de regulação destes sistemas.

mulher conectada com seu corpo

Mas como fazer você se sentir menos ansioso e depressivo através da sua alimentação diária?

1. Exclua os industrializados. Os seres humanos não foram feitos para comer todos os produtos químicos que consumimos na forma de aditivos, conservantes, aromatizantes artificiais e corantes artificiais. Todos estes ingredientes aumentam a toxicidade em nosso organismo, o que pode afetar seu cérebro gerando muita excitação cerebral, liberação de muita dopamina (hormônio da excitação) e desregulando totalmente as funções tanto da saúde física como da mental.

2. Escolha alimentos sem hormônio. Se você está consumindo ovos ou proteínas animais, como carne e frango, então as chances de você estar consumindo hormônios e antibióticos pecuaristas são altas. Estes hormônios são usados para aumentar o crescimento e melhorar a produção de leite dos bichinhos. Acontece que estes hormônios são absorvidos por nós, afetando diretamente os nossos hormônios e também a saúde mental. Procure por ovos e carnes orgânicas, sem hormônios.

3. Evite cafeína em excesso e açúcar. Esses estimulantes podem lhe dar um pontapé no ganho da sua energia, mas eles esgotam sua serotonina, que é a “sensação boa” que seu corpo liberando deixando você feliz.

4. Coma gorduras saudáveis. Com tanta ênfase em “sem gordura” e “baixo teor de gordura” na cultura da comida ocidental muitas pessoas não conseguem perceber que a gordura desempenha um papel importante em nosso corpo, principalmente, no cérebro, sendo que a grande parte dele é formada de gordura. Elas nos auxiliam na absorção de vitaminas solúveis em gordura A, ácidos D, E e K. Na verdade há uma ligação fortíssima entre ômega-3 contra a doença de Parkinson e também depressão. O truque está em incluir sempre que possível no seu prato nozes, semente de chia, linhaça, girassol, abacate, azeite de oliva e óleo de coco, castanhas por exemplo.

5. Verifique suas taxas de Vitamina D. Níveis baixos de vitamina D podem levar a ansiedade ou depressão. Consuma ovos (com a gema) e sardinha. E lembre-se de pegar pelo menos 10 minutos de sol todos os dias! Em alguns casos e necessário suplementar. 

Agora vamos falar do nutrientes essenciais para minimizar os efeitos da ansiedade:


Os alimentos ricos em açúcar, industrializados, carboidratos simples (farinha branca), frituras são considerados alimentos inflamatórios e pioram o quadro de ansiedade, mas existem alimentos que auxiliam e muito na modulação do estresse e ansiedade.

Vamos conhecer alguns deles?

1. Magnésio
Possui a capacidade única de atravessar a barreira hematoencefálica, servindo como guardião do sistema de resposta ao estresse e bloqueando a entrada de hormônios do estresse no cérebro. A deficiência de magnésio está associada ao aumento da ansiedade, por isso é importante manter os níveis sob controle. Boas fontes: espinafre, cacau, abacate, nozes e sementes;

2. Vitaminas do complexo B
A carências em especial das vitaminas B-12, biotina, B-6 e folato, estão associadas aos distúrbios de humor.
Elas são essenciais na produção de neurotransmissores, além de apoiar a sinalização nervosa adequada.
Fontes: Vegetais verdes, sementes, castanhas, amendoim, salmão e ovo.

3. L-teanina
Serve como um modulador para os neurotransmissores do cérebro, ajudando a equilibrar excessos e deficiências, além de aumentar a clareza cerebral e a concentração. Fontes: Matchá, chá verde, cogumelos.

4. Probióticos e prebióticos

Uma flora saudável desempenha um papel na produção de nossos neurotransmissores responsáveis pelo bem estar como a serotonina e o GABA.
Fontes: Probióticos (manipulados individualmente), kombucha, goma acácia, banana verde.

5. L-triptofano
Percussor da serotonina, que nos deixa felizes e de boa. Fontes: Banana, grão de bico, açaí, ovos.

Rosane Silva
Rosane Silvahttps://cienciasdasaude.org
Especialista em curas naturais.

Compartilhe

Últimos Artigos